Mestrado Integrado em Engenharia Civil

Objetivos do Curso

Objectivos
O Mestrado Integrado em Engenharia Civil (MIEC) do DEC-FCTUC entrou em funcionamento no ano lectivo de 2007-2008, substituindo a anterior licenciatura em Engenharia Civil. Esta alteração foi suscitada pela necessidade de adaptação do curso de Engenharia Civil a um novo formato compatível com as orientações definidas pelo Protocolo de Bolonha. A estrutura e conteúdo curriculares têm em vista proporcionar uma formação sólida para o exercício profissional da Engenharia Civil nas suas múltiplas vertentes de actividade.
Estrutura curricular
O MIEC está estruturado em dois ciclos de estudos. O primeiro, com a duração de três anos, confere uma Licenciatura em Ciências da Engenharia Civil, consistindo essencialmente de disciplinas ou unidades curriculares generalistas (Matemática, Física, Química, Desenho, Estatística,…) e de formação básica em Engenharia Civil. A conclusão do 1º ciclo requer a obtenção de 180 unidades de crédito ou ECTS (European Credit Transfer System), repartidos igualmente por cada um dos três anos.
O segundo ciclo, ao qual têm acesso assegurado os alunos do primeiro ciclo do MIEC, tem a duração de dois anos, conferindo um título de Mestre em Engenharia Civil. O último ano é preenchido por unidades curriculares de uma das seis Áreas de Especialização do DEC e pela elaboração de uma Dissertação de Mestrado. O 2º ciclo corresponde a 120 ECTS adicionais, 60 em cada um dos dois anos.
A obtenção do grau de Mestre requer, por conseguinte, a conclusão de um total de 300 ECTS.

Condições de Acesso e Ingresso

Física e Química (07) e Matemática A(19).

Saídas Profissionais

Todas as proporcionadas por uma formação de qualidade em Engenharia Civil, nomeadamente: planeamento, direcção, gestão ou fiscalização de obras, projecto, cargos de gestão, consultoria, etc.
O exercício destas funções pode ter lugar em qualquer sector de actividade: Construção, Banca e Seguros, Indústria extractiva ou transformadora, Serviços, Administração Pública Central ou Local, ou ainda por iniciativa pessoal (Empresário ou Profissional Liberal). Embora a maior fatia de recém-formados inicie ainda a sua vida profissional no país, o mercado potencial de recrutamento profissional é hoje praticamente ilimitado, constatando-se a presença de engenheiros portugueses (e do DEC, em particular) em praticamente todos os continentes e em numerosos países europeus, seja por via de empresas nas quais se enquadram, seja por iniciativa pessoal.

Comments are closed.